24 maio 2016


Puxa vida, posso dizer que o tempo passou rápido?
Durante o ultimo mês da gravidez parece que demorou para passar... e agora já faz 1 semana que meu pequeno Be nasceu :)
É muita alegria, felicidade, emoção, orgulho, é tudo de bom!!!

Por esse e outros motivos eu resolvi compartilhar agora as minhas 'aventuras' de mãe. Vou contar um pouquinho de como meus dias estão sendo e para isso nada melhor do que um diário, não é?!

--------------------

1) O Parto
A princípio eu ia fazer a cesárea com 39 semanas, segundo a indicação do meu médico. Com o passar das semanas eu tive muitas cólicas e contrações fortes, foi aí que durante uma consulta meu médico quis antecipar para 38 semanas, afinal o Be estava sentado e não poderia correr o risco de entrar em trabalho de parto.
Decidimos agendar para um domingo, afinal não haveria trânsito e a maternidade estaria mais tranquila. Eu estive tranquila durante o check-in e todo o processo de internação, a ansiedade começou mesmo quando eu fui encaminhada para uma salinha onde eu deveria me trocar para ir para a sala de parto.
O parto em si foi rápido e bem tranquilo. Muito mais tranquilo do que eu imaginava. O que realmente me deixou desconfortável foi o 'acesso' que eles colocaram no meu braço. O anestesista deixou uns 4 litros de soro com medicamento correndo numa velocidade alucinada (sem mentira) e isso deixou meu braço muito dolorido, meio gelado, fiquei realmente incomodada. Eu diria que tirando isso, todo o resto foi bem tranquilo. Ah! no finalzinho antes do médico finalizar os pontos eles pressionaram minha barriga de uma maneira que foi um pouco ruim, mas não posso dizer que senti dores, isso não.
Muitas pessoas tem medo da anestesia mas eu sinceramente não tinha nenhum receio. Talvez porque eu já passei por uma anestesia geral em uma cirurgia anterior...

2) Recuperação do parto
O procedimento 'padrão' seria a recuperação em uma outra sala, logo após o término do parto, mas eu tive a sorte grande de permanecer na sala de parto durante 1 hora junto com meu filhotinho e meu marido. Foi um momento mágico! Ele ficou o tempo todo no meu colo e depois pude amamenta-lo, sem palavras para descrever essa recuperação. Nesse momento tudo parou de me incomodar e nem liguei mais para aquele acesso no meu braço, só queria saber de admirar meu filho, beijar, abraçar e cuidar dele.

2) A Maternidade 
Eu não tive oportunidade de escolher a maternidade, pois meu médico só atendia na Maternidade S. Luiz (como contei em um dos 'Diários de gestante') então teve que ser lá mesmo.
Não posso dizer que tive um mal atendimento, mas a equipe de enfermagem deixou a desejar em alguns aspectos, cheguei inclusive a ficar bem nervosa na segunda-feira com a falta de assistência. Mas enfim, toquei a bola para frente e percebi que não ia adiantar levar essa questão a frente. Eu só queria saber de terminar minha estadia ali e ter alta para podermos vir para casa, essa é a verdade.
Na manhã da terça feira (nosso 2o dia lá) acordamos com marteladas (sem brincadeira) da reforma que havia começado no andar de baixo. Dá para acreditar? Uma maternidade relativamente cheia, com vários bebezinhos no mesmo andar que nós e todos tendo que conviver com barulho de reforma (oi?!) isso foi o suficiente para eu querer me mandar de lá.
Meu médico (um anjo) apareceu naquela manhã dizendo que se eu estivesse bem ele poderia me dar alta, eu aceitei na mesma hora. Eu poderia permanecer até a manhã da quarta feira (inclusive para poder ter mais auxilio durante a hora da amamentação) mas com aquele barulho eu mudei de idéia e quis vir para casa o quanto antes.

3) Primeiros dias em casa - amamentação
Não posso dizer que na maternidade foi só alegria não. Afinal a amamentação pode ser intuitiva para algumas mães e alguns bebês, mas não foi o nosso caso. Todo mundo sabe que um bebê tranquilo é um bebê de barriguinha cheia, certo? Pois bem, o Be não sabia mamar e ficava muito irritado a cada mamada, ele tinha fome e não conseguia comer... as duas primeiras noites foram muito tensas porque meu marido e eu não conseguimos dormir e o Bernardo ficou irritado chorando a cada meia hora!
Para resumir a história: eu tinha muito leite e não conseguia amamentar meu filho, isso me cortou o coração, ver ele chorando e nós dois inexperientes sem saber como proceder durante as mamadas.
Meu marido e eu começamos a pensar mil coisas (sabíamos do problema da amamentação) mas achávamos que o Be pudesse ter algum problema de respiração por não conseguir mamar... enfim, coisas de pais de primeira viagem. Mas qual a melhor forma de resolver isso? Ir a um pediatra. Segui a indicação de uma amiga e levamos o Be no Dr Jairo da Clinica Len. Adoramos o atendimento, foi sensacional. Tiramos nossas dúvidas e saímos de lá com a indicação de uma fonoaudióloga/consultora de aleitamento materno que foi um anjo em nossas vidas.

4) Amamentação
Liguei para a Fernanda (consultora) e ela me encaixou em sua agenda no mesmo dia. Ela é super profissional e tem mais de 20 anos de experiência. Ela me explicou várias coisas que eu não sabia sobre o aleitamento materno e ainda me ensinou umas massagens para ajudar no caso de eu voltar a ter ingurgitamento (empedramento) e também me passou um plano super bacana para eu realizar com o Be. Ela avaliou vários aspectos da mamada e da 'pega' do bebê e me ensinou a posicionar ele durante a mamada, posso dizer que foi um curso intensivo sobre aleitamento materno.
Foi uma maravilha! Todos meus problemas se resolveram! O Be passou a mamar de 3-3 horas e a dormir um sono bem tranquilo. A paz voltou e todos ficamos felizes denovo :)

5) Só alegria
Meus dias têm sido uma alegria só :) estou aproveitando para dormir no mesmo horário que o Be, assim eu aproveito e descanso bastante enquanto ele não precisa dos meus cuidados. Por enquanto está bem tranquilo, por ele ser um bebezinho recém-nascido ele passa a maior parte do tempo dormindo e quando acorda é para mamar.
Com uma 'rotina' estabelecida (na verdade estou amamentando livre demanda, mas ele segue um certo padrão de intervalo entre as mamadas) tudo fica mais fácil, dá tempo de fazer tudo.
Vamos passar esse comecinho em casa, dentro do 'ninho' (como eu costumo chamar) e só vamos sair para as visitas ao pediatra. Após as vacinas de 2 meses já estaremos liberados para sair e passear um pouquinho :)


Com 1 semana após o parto eu posso dizer que estou livre de dores e maiores desconfortos. Eu não tive muitas dores do corte porque meu médico foi SUPER bacana e me receitou MUITOS remédios. Ele sempre disse que não é preciso sentir dor após uma cesárea, basta tomar os remédios certos. E assim foi, senti dores no hospital mas logo pude solicitar mais medicação (que já estava prescrita por ele em casos de dor) e tudo ficou bem.
Logo logo vou poder tirar os pontos e a vida vai seguir tranquilamente... mas por enquanto estou procurando evitar esforços excessivos.



0 comentários:

Perfil


Amo cosméticos, compras, conhecer lugares novos, viajar e compartilhar minhas experiências com minhas leitoras. Leia meu perfil completo:

Perfil

Search

Redes Sociais

Instagram


TOUR PELO BLOG

http://www.blogdanathlevoto.com/search/label/Adoro
http://www.blogdanathlevoto.com/search/label/Dicas
http://www.blogdanathlevoto.com/search/label/Receitas
http://www.blogdanathlevoto.com/search/label/Restaurantes
http://www.blogdanathlevoto.com/search/label/Viagens

Receba o conteúdo por e-mail!

PARCEIROS DO BLOG



Decoração de festa em NJ

Ensaio fotográfico

PARTICIPAÇÕES DO BLOG

Na e Na Levoto

LINKS

GeraLinks - Agregador de links

MeusLinks.com - Informação e conteúdo todos os dias para você! Eu Sou do CBBlogers
Tecnologia do Blogger.

Fale com a Nath

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivo do blog